FOTOGRAFIA CLICHÊ

Faz muito tempo que venho me debruçando no entendimento sobre as diferenças fotográficas. Afinal, não posso aceitar que um sujeito qualquer por ter um celular faz fotografia e é tão fotógrafo igualmente a um German Lorca.
Encontro então em Gilles Deleuze a explicação para meu infortúnio.
O que vemos nas redes sociais, em registros de eventos, no cotidiano social não é uma fotografia pura, que quebra com nossos conceitos sensório-motores. O que vemos é uma fotografia CLICHÊ.
Clichê vem traduzir aquilo que sempre cai na condição do mesmo. Nada observa. Nada descreve. Nada agrega.

Referências para estudos Gilles Deleuze

Na fotografia Deleuze

27539992_147765292691094_270499760032740068_n

livro-a-imagem-tempo-cinema-ii-gilles-deleuze-D_NQ_NP_583825-MLB25506234122_042017-F.jpg

Anúncios

Um comentário sobre “FOTOGRAFIA CLICHÊ

  1. A tecnologia vem num crescente feroz… ao mesmo tempo a acessibilidade para possuir um celular que tenha câmera é cada vez maior. Logo, as imagens que sempre víamos no cinema como referência visual se confundem a imagens do nosso cotidiano virtual (facebook, instamgram etc).
    Porém, como você disse, a maioria não tem nada a passar. Nada adianta registrar algo belo sem haver um conteúdo a ser discutido. Isso é um dos males da tecnologia, que acaba por confundir artistas e pessoas que usam o recurso só para fins casuais.
    Gostei do seu site e me interessei pelo livro. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s