“Quando a tua mão direita estiver hábil, pinta com a esquerda; quando a esquerda ficar hábil, pinta com os pés.” Essa frase só poderia ser de Gauguin, um dos principais pintores do pós-impressionismo, que exerceu profunda influência em toda a arte moderna voltada para o exótico e o primitivo.

Exposição Paul Gauguin (Foto: Divulgação)

Quelles nouvelles?, 1892, óleo sobre tela, 67 x 91 cm

 

“A natureza tem poderes infinitos, misteriosos e imaginativos. Ela está sempre variando as produções que nos oferece. O próprio artista é um meio da natureza.” A frase é de Eugène Henri Paul Gauguin, artista pós-impressionista francês.

 

Eugène-Henri-Paul Gauguin era filho de um jornalista francês e de uma escritora peruana. Viveu em Lima de 1851 a 1855. Aos 17 anos, entrou para a Marinha Mercante, onde permaneceu por cinco anos e teve a oportunidade de visitar o Panamá e o Pacífico. Aos 23 anos, esteve no Brasil, passando um mês no Rio de Janeiro.

Em 1871, Gauguin retornou a Paris e começou a trabalhar como corretor de valores e a pintar nas horas livres. Casou-se com uma dinamarquesa, Mette Sophie Gad, com quem teve cinco filhos.

Foi em uma exposição impressionista, em 1874, que confirmou o seu desejo de ser pintor. Logo seus quadros também começaram a ser aceitos em exposições. Pissarro teve um interesse especial por suas obras, e o apresentou a Cézanne.

Em 1883, um colapso econômico o ajudou na decisão de tornar-se um artista em tempo integral. Estabeleceu-se em Ruen, com a mulher e os filhos, mas a experiência não deu certo. Mudaram-se então para Copenhagen, terra natal de sua esposa. Na Dinamarca ele não era feliz e retornou sozinho a Paris, em 1885. Instalou-se depois em Pont-Aven, na Bretanha, conhecido reduto de artistas.

 

Exposição Paul Gauguin (Foto: Divulgação)
Arearea, 1892, óleo sobre tela, 75 x 94 cm

 

Montagem da exposição na Fondation Beyeler

 

Exposição Paul Gauguin (Foto: Divulgação)
Aha oe feii?, 1892, óleo sobre tela, 66 x 89 cm

Entre 1885 e 1886 encontrou Degas, Charles Laval, Emile Bernard e Van Gogh. Com Laval viajou a Martinica. Após um breve período com Vincent Van Gogh em Arles (1888), Gauguin abandonou cada vez mais a arte imitativa para a expressão com a cor.

Graças ao dinheiro conseguido com uma exposição de seu grupo no café Volpini em Paris, em 1891, partiu para o Taiti, onde pintou o cenário primitivo e luminoso da região, as formas opulentas de suas mulheres e a exuberância tropical. “Duas Mulheres na Praia” foi uma de suas primeiras obras no Taiti.

Dois anos mais tarde, retornou a Paris na esperança de suas telas fazerem sucesso. Frustrado, voltou ao Taiti em 1895. Hospitalizado com freqüência por uma condição sifilítica não diagnosticada, tentou em vão o suicídio em 1898. Em 1901, estabeleceu-se nas Ilhas Marquesas, morrendo dois anos depois.

Exposição Paul Gauguin (Foto: Divulgação)
Cavaliers sur la plage (II), 1902, óleo sobre tela, 73,8 x 92,4 cm

 

Exposição Paul Gauguin (Foto: Divulgação)
Matamua, 1892, óleo sobre tela, 91 x 69 cm

 

Exposição Paul Gauguin (Foto: Divulgação)
Autoportrait à la palette, circa 1893/94, óleo sobre tela, 92 x 73 cm

 

Exposição Paul Gauguin (Foto: Divulgação)

Paul Gauguin, 1891