mc270comiss_19.jpg
Integrantes do grupo “Teatro em Greve Contra a Censura” protestando no Rio de Janeiro em fevereiro de 1968. Foto: Gonçalves (CPDOCJB)

Em tempos atuais, onde alguns pedem a volta da ditadura militar em nosso país, essa é uma lista cinematográfica necessária e importante para refletir e jamais permitir que esse período infeliz e bárbaro ocorra novamente.

6 filmes e documentários sobre mulheres que lutaram contra as atrocidades, torturas e crimes cometidos na época da ditadura militar no Brasil.

Atrás de Portas Fechadas

atras-de-portas-fechadas-750x410

O documentário é uma investigação sobre fatores determinantes na construção das convicções político-ideológicas de mulheres durante a Ditadura Civil Militar no Brasil. Enquanto as mulheres das organizações de esquerda lutaram pela participação política contra a repressão, as mulheres da elite brasileira deixaram seus lares apenas provisoriamente para defendê-los da “ameaça comunista”. Esses eventos influenciaram o debate sobre o comportamento e a condição da mulher na sociedade brasileira.

Direção: Danielle Gaspar e Krishna Tavares. Ano: 2014

Repare Bem

_ON CARTAZ REPARE BEM_04.jpg

O documentário “Repare Bem” da cineasta portuguesa Maria de Medeiros aborda a história de três gerações de mulheres que sofreram perseguição política a partir do relato de Denize Crispim e Eduarda Leite, duas anistiadas pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.

Direção: Maria de Medeiros. Ano: 2012

Em Busca de Iara

Iara.jpg

Este documentário relata a trajetória excepcional de Iara Iavelberg. Apesar de ter uma situação financeira confortável, ela decidiu abandonar a família e investir na luta armada durante a ditadura militar.

(Obs: Está disponível na Netflix)

Direção: Flavio Frederico. Ano: 2013

A Memória que me Contam

A-memória-que-me-contam-2.jpg

A ex-guerrilhera Ana (Simone Spoladore), í­cone do movimento de esquerda, é o último elo entre um grupo de amigos que resistiu à ditadura militar no Brasil. Com a iminente morte da amiga, eles se reencontram na sala de espera de um hospital. Entre eles está Irene (Irene Ravache), uma diretora de cinema que sente-se perdida diante da iminente morte da amiga e que precisa ainda lidar com a inesperada prisão de Paolo (Franco Nero), seu marido, acusado de ter matado duas pessoas em um atentado terrorista ocorrido décadas atrás na Itália.

Direção: Lúcia Murat. Ano: 2013

Que Bom Te Ver Viva

viva-slider1.jpg

O filme aborda a tortura durante o período de ditadura no Brasil, mostrando como suas vítimas sobreviveram e como encaram aqueles anos de violência duas décadas depois. “Que Bom Te Ver Viva” mistura os delírios e fantasias de uma personagem anônima, interpretada pela atriz Irene Ravache, alinhavado os depoimentos de oito ex-presas políticas brasileiras que viveram situações de tortura. Mais do que descrever e enumerar sevícias, o filme mostra o preço que essas mulheres pagaram, e ainda pagam, por terem sobrevivido lúcidas à experiência de tortura.

Direção: Lúcia Murat. Ano: 1989

Zuzu Angel

8df3265792d5

A ditadura militar faz o país mergulhar em um dos momentos mais obscuros de sua história. Alheia a tudo isto, Zuzu Angel (Patrícia Pillar), uma estilista de modas, fica cada vez mais famosa no Brasil e no exterior. Paralelamente seu filho, Stuart (Daniel de Oliveira), ingressa na luta armada, que combatia as arbitrariedades dos militares.

Direção: Sergio Rezende. Ano: 2006

por