Fotos registram delicadeza das paisagens geladas

  (Foto: Olaf Otto Becker)

Imagine percorrer 4 mil km a pé, em um local frio e inóspito, pela costa, onde os ventos são mais fortes e cortantes. Agora imagine fazer isso durante um ano inteiro, carregando equipamento pesado e sem nenhuma companhia.

Pois foi exatamente isso que fez o alemão Olaf Otto Becker, na remota Groenlândia, o enorme território gelado entre a América do Norte e o polo norte que pertence ao reino da Dinamarca (embora seja hoje um país autônomo). Os registros do fotógrafo foram recentemente reunidos na série intitulada Above Zero.
  (Foto: Olaf Otto Becker)

Munido de uma pesada câmera profissional, Becker passou um ano andando pelo lugar, que é a segunda maior superfície de gelo do planeta, menor apenas que a Antártida. O sacrifício valeu a pena. Desde o rigor sombrio do inverno até as surpreendentes paisagens do verão, tudo em sua série de imagens parece conspirar para encantar até mesmo o mais tropical dos espectadores.

Muito além de beleza, entretanto, o que o fotógrafo buscou demonstrar foi justamente o aquecimento global. Não é à toa que a série chama-se Above Zero (“acima de zero” em português). Em referência à temperatura em graus Celsius, o alemão constatou – e isso fica claro nas fotos – que o rápido derretimento das geleiras altera a paisagem e anuncia uma tragédia para as delicadas fauna e flora locais. De quebra, flagrou algumas das mais isoladas e exóticas paisagens da Terra.

  (Foto: Olaf Otto Becker)
  (Foto: Olaf Otto Becker)
  (Foto: Olaf Otto Becker)
  (Foto: Olaf Otto Becker)
  (Foto: Olaf Otto Becker)
  (Foto: Olaf Otto Becker)
  (Foto: Olaf Otto Becker)