A arquitetura e a fotografia são grandes aliadas, ajudando-se mutuamente. Enquanto a fotografia procura ressaltar tudo o que existe de mais belo na arquitetura, esta última serve de material para imagens poéticas, inspiradoras, inusitadas e belas. Mas qual seria a melhor forma de se retratar prédios, casas e interiores?

Aprenda o que é preciso para fotografar arquitetura (Fonte da imagem: Cuba Gallery)

Tudo depende do propósito da fotografia, já que existem imagens mais informativas, e outras que são puramente artísticas. Isto é, se você precisa informar ao retratar um prédio, por exemplo, para que alguém saiba como ele é, vai precisar ter uma abordagem diferente do que seria para uma imagem que tem por objetivo principal capturar algo belo.

Fotografia informativa

Imagine que você precisa enviar uma imagem para um amigo seu mostrando uma construção qualquer. O objetivo é que ele veja a imagem e saiba exatamente do que se trata, e entenda o que está sendo mostrado. Isso é a fotografia informativa. Ela abre menos portas para o fotógrafo abusar da criatividade, mas isso não quer dizer que precisa ser algo sem graça.

Observe bem o prédio ou casa que deseja fotografar, vendo-os de vários ângulos e distâncias diferentes. Tente aplicar o que já foi dito sobre enquadramento para conseguir uma composição bonita e completa.

Saiba o que precisa aparecer e o que pode ser cortado (Fonte da imagem: Ana Nemes)

É importante saber o que precisa estar na fotografia, como estruturas, janelas e paredes específicas, e o que pode ser tirado fora. Na fotografia acima, por exemplo, o que precisava aparecer era a estrutura em forma de olho e suas rampas. Já o prédio branco retangular atrás pôde ser cortado sem problemas.

Em fotografias de interiores, abuse de lentes com um ângulo de captura grande para que seja possível mostrar o máximo em uma só imagem. Não é por que você precisa mostrar tudo com fidelidade ao real que não se torna possível deixar a foto mais bonita ou artística. Portanto, utilize a iluminação (natural ou não) a seu favor, criando fotografias de ambientes mais aconchegantes.

Construa a foto informativa de forma bela, com elementos como a luz e a simetria (Fonte da imagem:Jokullinn)

Preste atenção também nas texturas e materiais existentes nos ambientes internos e nos prédios e casas, e veja como esses fatores se comportam com as diferentes iluminações durante o dia, para escolher a melhor hora para fotografar o que precisa ser documentado.

A arte de fotografar arquitetura

Ao contrário da fotografia informativa, que possui o propósito claro de mostrar a outra pessoa um local como ele realmente é, quando você fotografa simplesmente pela arte, nada é proibido e a sua criatividade pode ser a chave para melhores imagens.

Desenvolva o olhar

Aproveite as linhas para compor fotografias inesquecíveis (Fonte da imagem: Frank Edens)

Porém, para conseguir fotos espetaculares, não basta simplesmente sair com uma câmera criando imagens aleatórias de locais bonitos, é preciso saber o que e para onde olhar. Fotografar prédios e casas é muito mais fácil para quem já gosta de arquitetura e entende um pouco (não é preciso muito) sobre o assunto, pois a pessoa sabe o que se destaca em uma determinada construção.

Além disso, conhecer o assunto ajuda o fotógrafo a escolher melhores enquadramentos que enriqueçam o que está sendo mostrado. Para conhecer arquitetura, não é preciso se aprofundar em textos teóricos e longos, basta, na maior parte dos casos, sair e observar.

Um fotógrafo é, em essência, um observador de tudo. Olhe mais para cima quando sair pela sua cidade, você vai ver muitos detalhes que passam despercebidos normalmente, como cúpulas de igrejas, enfeites em prédios antigos, escadas de emergência e muito mais.

41589

Desenvolva um olhar apurado, observando mais ao seu redor (Fonte da imagem: Cuba Gallery)

Esteja com o equipamento pronto

Uma dica importante, para quem possui tanto uma câmera maior quanto uma compacta, é sair sempre que possível com a compacta na bolsa, ao ir para o trabalho, para a aula ou mesmo sair para passear.

Já que é difícil estar sempre com uma câmera profissional à mão, pelo menos se algo chamar a atenção você pode registrar, e quem sabe voltar depois com outro equipamento. Muitos celulares com câmera hoje em dia conseguem tirar imagens com alta resolução, e podem ser suficientes para uma emergência.

Esteja pronto, momentos como este não esperam muito (Fonte da imagem: Ana Nemes)

Quando você for sair especialmente para fotografar, esteja com o equipamento preparado. Cada fotógrafo tem os seus itens indispensáveis, mas existem objetos que podem ser muito úteis: guarda-chuva (mesmo se estiver sol, você pode precisar usá-lo para fazer sombra), fita adesiva (acredite, isso é muito importante!) e pilhas reservas (ou a bateria completamente carregada) podem fazer toda a diferença.

O enquadramento faz toda a diferença

Nós já falamos um pouco sobre as linhas neste artigo, mas vale ressaltar, já que na fotografia de arquitetura isso é muito importante. Preste muita atenção nas linhas, retas ou curtas, e no efeito que isso pode causar na imagem, quando olhadas a partir de um ângulo diferente. Tente tirar o seu observador de um lugar comum, forçando-o a adotar um ponto de vista pouco usual.

Aproveite as linhas retas para criar uma composição (Fonte da imagem: Cuba Gallery)

Os principais elementos que devem ser levados em conta no enquadramento são: linhas retas, curvas, objetos diferenciados (enfeites, objetos de época, decorações, detalhes em geral etc…), texturas e cores contrastantes, simetrias, luz e os elementos arquitetônicos usuais, como janelas, portas, arcos, escadas e outros. Combine e misture esses elementos, criando uma fotografia rica.

Agora que você já sabe o que procurar, é mais fácil pensar em como enquadrar isso para que a fotografia se torne interessante. A regra dos terços é uma possibilidade, porém ela não serve para trabalhar com simetria, por exemplo, já que nesses casos o prédio ou casa precisa estar posicionado bem no meio da fotografia.

A simetria é um dos elementos que enriquecem a fotografia (Fonte da imagem: Cuba Gallery)

Utilize a profundidade de campo para criar imagens com várias camadas, ou imagens “chapadas”, causando diferentes sensações. A verdade é que o fotógrafo precisa conferir ao elemento arquitetônico uma personalidade, um sentimento, seja ele força, fraqueza, alegria, medo, drama ou outros.

Por exemplo, a luz atravessando a janela e iluminando um quarto bem arrumado traz um sentimento de conforto para a foto, já a mesma luz atravessando a janela e iluminando um cômodo sem nenhum móvel ou objeto, traz um sentimento de solidão, de vazio. Saiba aproveitar essas sensações usando-as a seu favor!

Aproveite elementos em repetição e sombras para criar fotos simples, porém chamativas (Fonte da imagem: Matt Ward)

 Fotografar prédios, casas e interiores não é uma tarefa difícil, porém requer um olhar mais apurado para que seja possível identificar o que vale a pena ser visto. Comece a observar o ambiente ao seu redor com mais cuidado e, acompanhado de uma câmera, registre novos pontos de vista.

fonte tecmundo