Por: Philippe Torres

Confesso ser um aficionado por atuações infantis ao ponto de dizer que estas estão, na grande maioria das vezes, melhores que os veteranos. Trago a vocês alguns filmes com atuações infântis e sobre a infância. Obviamente, o tema proporcionou-nos diversos grandes longa-metragens na história do cinema, mas não preocupe-se, como um apaixonado por estes, haverá uma segunda lista. Lembrando sempre que nossas listas nunca representa os melhores filmes, isso sempre será uma ofensa.

 
– Cria Cuervos
 
 
Direção: Carlos Saura
País: Espanha
Ano: 1976
Em uma casa pequena e velha no centro de Madrid, Ana, uma menina de 9 anos de idade, é o veículo usado para contar, mais do que uma história, um clima, uma atmosfera, uma chave vital, os costumes e sentimentos que destróem sua família. Ana acredita ter em suas mãos o poder de vida e morte sobre aqueles que a rodeiam. Acha que este poder foi causador da morte de seu pai. Assim, neste universo fechado e do ponto de vista de uma criança, o tempo passa, trazendo paixões, esperanças, descobrindo frustrações e impassível, profetizando a morte.
 
– KES
 
 
Direção: Ken Loach
País: Reino Unido
Ano: 1969
Um dos primeiros filmes da carreira do consagrado diretor Ken Loach, Kes conta a história de um menino que vive em bairro pobre da cidade que, violentado em casa e ridicularizado na escola, acha uma forma de abstrair de sua dura realidade treinando um falcão. Poética e singela obra de formação do cineasta que posteriormente realizou obras-primas como Terra e Liberdade e Pão e Rosas.
 
– Incompreendidos
 
 
Direção: François Truffaut
País: França
Ano: 1959
Os Incompreendidos (Les quatre cents coups) é um filme francês de 1959, do gênero drama, dirigido por François Truffaut. O filme narra a história do jovem parisiense Antoine Doinel, um garoto de 14 anos que se rebela contra o autoritarismo na escola e o desprezo dos pais Gilberte e Julien Doinel. Rejeitado, Doinel passa a faltar as aulas para freqüentar cinemas ou brincar com os amigos, principalmente René. Com o passar do tempo, as censuras o direcionarão, vivenciará descobertas e cometerá delitos em busca de atenção.
 
– Moonrise Kingdom
 
 
Direção: Wes Anderson
País: EUA
Ano: 2012
Anos 60, em uma pequena ilha localizada na costa da Nova Inglaterra. Sam (Jared Gilman) e Suzy (Kara Hayward) sentem-se deslocados em meio às pessoas com que convivem. Após se conhecerem em uma peça teatral na qual Suzy atuava, eles passam a trocar cartas regularmente. Um dia, resolvem deixar tudo para trás e fugir juntos. O que não esperavam era que os pais de Suzy (Bill Murray e Frances McDormand), o capitão Sharp (Bruce Willis) e o escoteiro-chefe Ward (Edward Norton) fizessem todo o possível para reencontrá-los
 
– A Caça
 
Direção: Thomas Vinterberg
País: Dinamarca
Ano: 2012
Lucas acaba de dar entrada em seu divórcio. Ele tem um novo emprego na creche local, uma nova namorada e está ansioso pela visita de natal de seu filho, Marcus. Mas o espírito de natal desaparece quando Klara, uma aluna de cinco anos de idade, faz uma acusação de abuso sexual contra Lucas, o que desencadeia o ódio de toda a comunidade em que ele vive.
 
 
– A Canção da Estrada

Direção: Satyajit Ray

País: India
Ano: 1955
No início do século 20, Abul é um menino pertencente a uma pobre família brâmane de um vilarejo na Índia. Seu pai, poeta e sacerdote, é forçado a deixar seus entes queridos em busca de trabalho. Uma das obras-prima do cinema mundial, inédita no Brasil e nas Américas. Este filme foi a estréia espetacular de Satyati Ray. Recuperada a finais dos anos 90, pois um incêndio destruiu os negativos originais, esta é a primeira fita, que deu origem a Trilogia de Apu. Nela se narra a comovente história de uma família de Bengali perseguida pela má sorte. O pai, Harihara, é um sacerdote mundano, curandeiro, sonhador e poeta. Sabajaya, a mãe trabalha para alimentar a uma família, que recebe com alegria e esperança a chegada de um novo filho, Apu.
– Vá e Veja
 
 
Direção: Elem Klimov
País: Rússia
Ano: 1985
Impressionante e rigoroso filme russo. Um dos mais importantes dos últimos tempos. Vá e Veja é uma experiência de dor e perda. Considerado selvagem e lírico, o filme narra a trajetória de Florya, um jovem separado de seus comandantes durante a Segunda Guerra Mundial.
– Adeus, Meninos
 
 
Direção: Louis Malle
País: França
Ano: 1987
França, inverno de 1944. Julien Quentin (Gaspard Manesse) é um garoto de 12 anos que frequenta o colégio Sr. Jean-de-la-Croix, que enfrenta grandes dificuldades devido a 2ª Guerra Mundial. Lá ele se torna o melhor amigo de Jean Bonnett (Raphael Fejto), um introvertido colega de classe.
 
– Cinema Paradiso 
 
 
Direção: Giuseppe Tornatore
País: Itália
Ano: 1988
Nos anos que antecederam a chegada da televisão (logo depois do final da Segunda Guerra Mundial), em uma pequena cidade da Sicília o garoto Toto (Salvatore Cascio) ficou hipnotizado pelo cinema local e procurou travar amizade com Alfredo (Philippe Noiret), o projecionista que se irritava com certa facilidade, mas parelamente tinha um enorme coração. Todos estes acontecimentos chegam em forma de lembrança, quando agora Toto (Jacques Perrin) cresceu e se tornou um cineasta de sucesso, que recorda-se da sua infância quando recebe a notícia de que Alfredo tinha falecido.
 
– Vítimas da Tormenta
 
 
Direção: Vittorio de Sica
País: Itália
Ano: 1946
Um retrato das crianças de rua na Itália pós-guerra. Giuseppe e Pasquale são duas das crianças, dois grandes amigos que vivem de lustrar os sapatos de soldados americanos. Eles dividem suas esperanças e seus sonhos inocentes de um futuro melhor, mas acabam presos numa terrível instituição para menores.
por cineplot.blogspot.com.br
________________________________________________________________________