vila-operária-ok-279x179

Aos 51 anos de idade, o produtor cultural Orlando Valle tem um novo passo de uma empreitada que completa 10 anos. Em 2004, Orlando iniciou uma intensa e ousada pesquisa sobre a Vila Operária, localizada no bairro de Boa Viagem, em Salvador (BA). O local abrigava a mais moderna indústria têxtil do Brasil do século XIX – a CEIN – e era habitada predominantemente por negros, que trabalhavam na fábrica.


Durante 10 anos Orlando pesquisou intensamente sobre a Vila Operária e sobre Luiz Tarquínio, empresário baiano, fundador da Vila e primeiro prefeito negro do Brasil. Depois de tanto tempo pesquisando e reunindo material, o produtor está a um mês de realizar seu sonho: se tornar, de fato, um realizador, e começar a filmar seu longa. “Foi muito difícil encontrar a linha para esse documentário, porque o material que reuni era imenso. A principal referência que eu tinha era um livro escrito por uma bisneta do Luiz Tarquínio”, conta.
Orlando já possui um acervo de 80 fotografias originais e depoimentos audiovisuais de ex-operárias e ex-operários vivos que trabalharam na CEIN até 1972, ano de falência da empresa.
“Nas minhas pesquisas eu achei uma reportagem muito antiga da TVE, da década de 70, que fala sobre a fábrica e tem depoimentos de pessoas que já morreram. Além disso, a TVE gostou do meu projeto e já declarou que vai colocar o documentário na grade da programação”, conta, entusiasmado.
A ligação de Orlando com a sétima arte é antiga. O produtor conta que quando era criança já fazia cinema na sua casa, sem saber. “Quando eu tinha seis anos, eu gostava de recortar revistas e colar esses recortes em papel manteiga. De noite eu colocava uma luz projetada atrás da figura, para ver a imagem grande, na parede”, lembra.
Orlando sempre gostou de contar histórias e sempre teve um cineasta adormecido dentro de si. Sempre trabalhou como produtor cultural, mas há 10 anos decidiu que estava na hora de dar o pontapé inicial em seu projeto sobre a Vila Operária, no bairro de Boa Viagem, em Salvador (BA). “Esse documentário aborda quatro elementos muito importantes que se conectam e são indissociáveis: a Vila Operária, a história dos moradores da Vila, o momento atual da comunidade e o trabalho e trajetória de Luiz Tarquínio”, conta Orlando, orgulhoso do projeto.
Filho de dois operários e neto de um chefe de seção da indústria, Orlando nasceu e foi criado na Vila Operária. “Minha casa fica perto da estátua de Luiz Tarquínio. Eu cresci vendo essa imagem – inclusive estou olhando pra ela enquanto falo com você – e eu não sabia quem ele era. Decidi descobrir a história desse lugar e dessa estátua”, conta Orlando, que se surpreendeu com o grande valor histórico e cultural arraigado no local onde passou toda a vida.
No próximo mês o produtor começa a rodar o documentário e a gravar as entrevistas. Para esse grande passo, Orlando conta com a ajuda de dois amigos cinegrafistas da Diretoria de Audiovisual do Estado da Bahia: Julio Raveck e Ivanildo Silva. Por enquanto o projeto vai ser colocado em prática com meios próprios. “Não temos patrocínio, vou começar a filmar com meus próprios recursos e com a ajuda desses cinegrafistas”, explica.
O longa faz parte do projeto multimídia Cidade do Trabalho – Memórias da Vila Operária da Boa Viagem, que também propõe um site oficial, desfile de moda, maquetes física e virtual da Vila Operária, selo comemorativo, Criação de Sítio Histórico, Memorial do Operariado Negro e livro com DVD, entre outras ações culturais.
Para saber mais sobre o Projeto, entre em contato com Orlando Valle pelo emailvalleartbrasil@gmail.com.
Fonte: http://www.telabr.com.br/noticias