ANCINE e Ministério da Cultura apoiam a iniciativa da Prefeitura e do Governo do Estado de São Paulo
A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e o Ministério da Cultura, por meio da ANCINE, apresentou ontem, dia 31 de outubro, o Projeto de Lei que cria a SPCine – Empresa de Cinema e Audiovisual de São Paulo. Participaram da solenidade de lançamento do projeto, na Praça das Artes, no centro da cidade, a ministra de Estado da Cultura, Marta Suplicy; o presidente da ANCINE, Manoel Rangel; o Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araújo; o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad; o secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, e o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Américo, além de mais de 300 representantes do setor audiovisual da cidade.
A SPCine, cuja gestão será compartilhada entre os governos municipal, estadual e federal, com participação do setor audiovisual em sua estratégia, irá desenvolver, financiar e implementar políticas públicas para o audiovisual na cidade de São Paulo. De acordo com o projeto de lei enviado à Câmara de Vereadores, a empresa atuará no fomento, investindo em coprodução e codistribuição, fortalecendo o circuito dos criadores e empresas produtoras de audiovisual na cidade, articulando a produção regional com polos nacionais e internacionais, ampliando a rede de distribuição e exibição dos conteúdos e potencializando o seu consumo.
Em sua fala, a ministra Marta Suplicy ressaltou que a SPCine surge em um momento importante para a cultura brasileira, em que o Vale-Cultura começa a entrar em vigor, ampliando o mercado consumidor de cultura no Brasil. Também lembrou que, recentemente, o Governo Federal, por meio do MinC, o Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura assinaram acordos para investimentos em Pontos de Cultura na cidade, e Estado e Município aderiram ao Sistema Nacional de Cultura, que levará investimentos e planejamento para a cultura, tendo as três esferas de governo e a sociedade civil alinhadas. “O audiovisual brasileiro vive um momento especial nos cinemas e na televisão, fruto da aposta do Governo Federal no desenvolvimento do setor e do talento dos nossos diretores, produtores, técnicos, artistas e demais agentes envolvidos. O Ministério da Cultura e a ANCINE apostam forte na SPCine porque, ao atuar neste ambiente positivo, ela vai multiplicar e potencializar a produção audiovisual brasileira feita na cidade. É bom para São Paulo e muito bom para o Brasil”, declarou a ministra.
Para o diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel, a SPCine desempenhará um importante papel para a política nacional de cinema e audiovisual: “a lei da TV paga mudou a cara da televisão por assinatura no Brasil, dando vez e voz aos filmes e séries nacionais no horário nobre dos canais. Essa semana, o Brasil atingiu a marca de 22 milhões de ingressos vendidos de filmes brasileiros. É um ambiente novo e inovador para o nosso audiovisual. A ANCINE e o Ministério da Cultura atuam para multiplicar estas oportunidades em todo o país, buscando parceria com os governos de estado e prefeituras”.
Fonte: http://bit.ly/1feqrc1