O que pode resultar do encontro de um designer, um desenvolvedor e um publicitário apaixonados pela sétima arte? Acertou quem disse uma plataforma para estimular a produção independente de cinema. Mais do que isso, o Cineasta, site de crowdfunding focado no financiamento de filmes, quer se tornar um ”ponto de socialização e colaboração de profissionais e estudantes de audiovisual”, como afirma um dos sócio-fundadores, Leonardo Curcino.
Formado em Publicidade e Propaganda, ele e os outros dois sócios – Pedro Xudré, o desenvolvedor, e Renato Alencastro, o designer – queriam encontrar um modo sustentável de fazer com que seus projetos saíssem do papel, fugindo da histórica dependência do cinema nacional das leis de incentivo público. Assim nasceu o Cineasta, como uma maneira trazer o público para o lugar do mecenas.
Além do apoio financeiro, a plataforma também permitirá que os usuários ofereçam habilidades. Escreve roteiros? Entende de iluminação? Domina sonorização? É possível colaborar com os projetos prestando serviços.
Da concepção da ideia até o lançamento do site, em 2012, foram seis meses dedicados a pesquisas e análises de mercado e da tecnologia para colocar uma plataforma de crowdfunding no ar. Prestes a lançar sua versão beta, o Cineasta já cadastrou quase duas mil pessoas e mais de 100 projetos. Por enquanto só é possível inscrever as propostas para análise. “Muitos ainda estão em um estágio inicial de desenvolvimento, precisando de melhorias para ir ao ar”, conta.
Além dos três sócios, a equipe conta com alguns colaboradores temporários para auxiliar com a divulgação, programação, curadoria e redes sociais. Até então, os cerca de R$ 10 mil gastos no desenvolvimento do Cineasta foram totalmente financiados pelos sócios, mas existe a possibilidade de uma rodada de investimentos no futuro. “Queremos lançá-lo, esperar que ele tenha movimentação para buscar uma possível injeção de investimento inicial externa”, explica Curcino.
Cenário – No exterior, a cultura do crowdfunding já é uma realidade. Recentemente, o cineasta Spike Lee arrecadou US$ 1,4 milhões para rodar seu novo projeto, contando inclusive com o apoio de outro diretor, Steven Soderbergh, que doou US$ 10 mil para que o filme aconteça.
Em outro caso bastante comentado, Rob Thomas, produtor da série de TV Veronica Mars, superou a meta de arrecadação no Kickstarter para produzir um filme baseado na personagem – pediu US$ 2 milhões e captou US$ 5,7 milhões com a ajuda dos fãs da série.
“Acho que nos próximos anos, essa realidade será promissora. As pessoas podem tirar muita vantagem do crowdfunding, principalmente as marcas que podem ser inseridas na história através do product placement, conseguindo assim um destaque mais interessante e com maior possibilidade de gerar mídia espontânea que publicidade”, acredita Curcino.
O product placement a que ele se refere é uma das novidades criadas pela plataforma. Por meio dele, empresas podem destinar recursos às produções em troca de espaço dentro da narrativa do filme. “O próprio usuário cria cotas de product placement para serem compradas considerando o roteiro que ele vai filmar. Se no roteiro dele, por exemplo, um casal se conhece e se apaixona em uma escola de idiomas, ele coloca essa cota à venda para que uma escola de inglês que queira ser o cenário do filme compre”, explica.
“Empresa não coloca grana em um projeto de graça, tem que ver alguma forma de ganhar com isso. No nosso caso, a empresa ganha exposição. E muito melhor do que uma marca falando de si mesma é uma história sendo contada com a marca em questão no pano de fundo“, defende.
O Cineasta pretende fazer um trabalho de divulgação dos benefícios do investimento neste tipo de projeto junto às empresas posteriormente. Por enquanto, o foco é lançar a primeira versão da plataforma e criar um bom portfólio de projetos.
Quanto a projeções de arrecadação e financiamento, Curcino é cauteloso. “Temos uma ideia sim, mas é algo que estamos deixando, por enquanto, entre nós, pois ainda é uma questão incerta. Vai depender de vários fatores, mas temos metas e queremos nos tornar referência em nosso segmento.”
cine
Fonte: http://bit.ly/12QqDdc