Hoje injustamente desconhecido, o americano Oscar Micheaux desempenhou papel fundamental na formação do cinema afro-americano. Diretor de 42 filmes ao longo de três décadas – além de roteirista, produtor, distribuidor e showman –, Micheaux foi um dos maiores produtores dos race pictures, produções de baixíssimo orçamento produzidos por e para negros nos EUA entre as décadas de 1920 e 1950, durante o auge da segregação racial.
A mostra Oscar Micheaux: o Cinema Negro e a Segregação Racial irá exibir 27 títulos, sendo 10 longas-metragens dirigidos por Micheaux e 17 filmes ligados à história do cinema negro nos EUA, entre eles o clássico O Nascimento de uma Nação, de D.W. Griffith; O Cantor de Jazz (1927), o primeiro filme falado da história; seis longas de outro pioneiro contemporâneo de Micheaux, Spencer Williams; obras de Vincente Minnelli, Edgar G. Ulmar, John M. Stahl, James Whale e King Vidor; e um documentário sobre os race pictures, Na Sombra de Hollywood: “Race Movies” e o Nascimento do Cinema Negro.
Micheaux entrou para a história como o primeiro negro a produzir um longa-metragem nos EUA – The Homesteader (1919), baseado em um livro de sua própria autoria e em sua experiência como proprietário de terras – e também o primeiro negro a produzir um longa-metragem sonoro – O Exílio (1939). Através de seus filmes, ele combatia o racismo e procurava esclarecer a consciência dos afro-americanos em tempos ainda de racismo aberto e legalizado.
“Uma das grandes tarefas da minha vida tem sido ensinar que os homens de cor podem ser qualquer coisa”, foi uma de suas frases mais célebres.
Ele dirigiu também Dentro de nossas Portas (1920) e O Símbolo do Inconquistado (1920), respostas diretas aos estereótipos racistas de O Nascimento de uma Nação (1915), épico de D. W. Griffith.
Micheaux nasceu em 1884 em Metropolis, Illinois, um dos 13 filhos de um casal de ex-escravos. Aos 17 anos, mudou-se para Chicago, onde arrumou um emprego como carregador. Mais tarde, tornou-se proprietário de terras em Dakota do Sul, e retornou a Chicago para montar sua própria produtora de filmes e editora de livros, a Micheaux Film and Book Co.
Com curadoria de Paulo Ricardo Gonçalves de Almeida, a mostra também conta com a realização de debate com convidado internacional especialista na carreira do cineasta a definir.
negro

Filmes de Oscar Micheaux

Dentro de Nossas Portas (Within Our Gates, 1920, 78 min, 16 anos, DVD)
Abandonada pelo noivo, Sylvia Landry, jovem negra e bem educada, ajuda a levantar fundos para uma escola para crianças negras pobres no Sul, onde se esconde terrível acontecimento de seu passado.
O Símbolo do Inconquistado (The Symbol of the Unconquered, 1921, 65 min, 14 anos, DVD)
Racistas descobrem que, sob a terra de proprietário negro, há vastas campos de petróleo, e passam a ameaçá-lo caso ele se recusa a vendê-la.
Corpo e Alma (Body and Soul, 1925, 86 min, 16 anos, 35 mm)
Pastor hipócrita e malévolo abusa da fé de pequena comunidade, sobretudo da irmã Martha Jane, cuja filha ela sonha ver casada com o ministro. Ele, porém, estupra a jovem inocente e a força a roubar as economias da mãe, que descobre o verdadeiro caráter do religioso após a morte da garota.
O Exílio (The Exile, 1931, 93 min, 14 anos, DVD)
Em Chicago, Jean se apaixona por Edith e a propõe em casamento, mas, ao perceber que ela não largará a jogatina, ele volta para a Dakota do Sul, onde se torna um fazendeiro de sucesso. Lá, Jean se envolve com uma mulher branca, porém, consumido pela culpa, ele retorna a Chicago, onde procura novamente Edith e eles concordam em se casar. Mais tarde, quando Edith é assassinada, Jean é culpado pelo crime.
Dez Minutos para Viver (Ten Minutes to Live, 1932, 58 min, 14 anos, 16 mm)
Duas histórias se entrelaçam. Em um nightclub, uma cliente recebe uma mensagem de que em breve receberá outra, e de que ela morrerá dez minutos depois. Ao mesmo tempo, produtor de cinema oferece a cantora papel em seu último filme.
A Garota de Chicago (The Girl from Chicago, 1932, 70 min, 14 anos, DVD)
Alonzo White, agente secreto do governo, apaixona-se por garota ameaçada por chefe do crime no Mississippi. Ele a resgate e o casal parte para o Harlem, mas os problemas os seguem: eles se envolvem com o assassinato de um líder da gangue do local.
Assassinato no Harlem (Murder in Harlem, 1935, 98 min, 14 anos, 35 mm)
Um vigia noturno negro em uma fábrica de produtos químicos encontra o corpo de uma mulher branca assassinada. Depois de denunciar o crime à polícia, ele mesmo se vê acusado pelo estupro e pelo homicídio.
Submundo (Underworld, 1937, 95 min, 14 anos, DVD)
Um jovem estudante universitário cai sob a influência de um jogador do submundo e assassino.
Os Filhos Adotivos de Deus (God’s Step Children, 1938, 75 min, 16 anos, 16mm)
A jovem mulata Naomi luta para encontrar seu lugar entre o mundo dos negros e dos brancos. Enquanto ama seu irmão adotivo Jimmy, ela despreza a cultura negra em que foi criada e tenta se “passar” por branca.
Swing! (1938, 70 min, 14 anos, DVD) Ted Gregory tenta ser o primeiro produtor negro a montar um espetáculo na Broadway, mas enfrenta problemas com sua estrela.

Filmes de outros diretores

O Nascimento de uma Nação, de D.W. Griffith (The Birth of  Nation, 1915, 165 min, 16 anos, 16 mm)
As famílias Stoneman, do Norte, e Cameron, do Sul, separam-se com o início da Guerra Civil. A vitória do Norte e o assassinato de Lincoln dão poder aos negros e submetem os brancos nos antigos estados Confederados, os quais retomam a supremacia com a formação da Ku Klux Klan.
O Cantor de Jazz, de Alan Crosland (The Jazz Singer, 1927, 88 min, 16 anos, 16 mm)
O filho de um rabino precisa desafiar seu pai a fim de perseguir seu sonho e se tornar um cantor de jazz.
Aleluia, de King Vidor (Hallelujah!, 1929, 109 min, 14 anos, 16 mm)
Em uma “juke joint”, o fazendeiro Zeke se apaixona pela dançarina Chick, mas ela apenas quer enganá-lo no jogo. Ele perde 100 dólares, o dinheiro que conseguiu com venda da colheita de algodão da família. Seu irmão Spunk é assassinado em um tiroteio logo em seguida. Zeke vai embora e retorna como Irmão Zekiel, o pastor. Suas pregações atraem os fiéis em grandes números. Mesmo Chick deseja a salvação. Zekiel pediu a bela Missy Rose em casamento, mas Chick ainda seduz o pastor.
Imitação de Vida, de John M. Stahl (Imitation of Life, 1934, 111 min, 14 anos, 16 mm)
Bea Pullman e sua filha Jessie têm um período difícil após a morte do marido de Bea. Ajuda chega na forma de Delilah Johnson, que concorda em trabalhar como governanta em troca de um quarto para ela e sua filha Peola. Bea tem um plano de vender a receita de panqueca de Delilah. As duas logo se tornam ricas e a amizade se aprofunda. A relação com suas filhas, entretanto, torna-se tensa. Com vergonha de sua mãe, Peola busca uma nova vida se “passando” por branca. O amor de Bea por sua filha é testado quando ela e Jessie se apaixonam pelo mesmo homem.
Magnólia, de James Whale (Show Boat, 1936, 113 min, 16 mm)
Apesar das objeções de sua mãe, a filha jovem e inocente de um capitão de “show boat” é levada aos palcos como a nova protagonista da companhia.
Lua sobre o Harlem, de Edgar G. Ulmer (Moon Over Harlem, 1939, 69 min, 14 anos, 16 mm)
Gângster se casa com a mulher mais gentil e caridosa do Harlem para lhe rouba o dinheiro. Quando a esposa o flagra tentando estuprar a filha, ele mente e culpa a garota. Expulsa pela mãe de casa, a menina entra no show business para ganhar a vida.
Sombra da Meia-Noite, de George Randol (Midnight Shadow, 1939, 54 min, 14 anos, 35 mm)
Numa tranqüila comunidade do Oklahoma vivem os Wilsons, cuja filha Margaret é cortejada por Buster e pelo Príncipe Alihabad. Em uma noite movimentada, o Sr. Wilson mostra seus objetos de valor para Alihabad, que planeja fugir com Margaret. Mais tarde, o Sr. Wilson é assassinado: será o criminoso pego pela polícia, ou pelo detetive por correspondência Junior Lingley?
O Sangue de Jesus, de Spencer Williams (The Blood of Jesus, 1941, 65 min, 12 anos, 35 mm)
O marido ateu acidentalmente atira em sua esposa batista. Ela morre e vai para uma encruzilhada, onde o diabo tenta levá-la para a perdição.
Uma Cabana no Céu, de Vincente Minnelli (Cabin in the Sky, 1943, 98 min, 14 anos, 16 mm)
Um jogador compulsivo morre durante tiroteio, mas recebe uma segunda chance para se retratar com sua esposa preocupada.
Marchando!, de Spencer Williams (Marching On! / Where’s my man to-nite?, 1944, 83 min, 14 anos, 35 mm)
Durante a Segunda Guerra Mundial, neto de soldado condecorado se recusa servir ao exército. Tudo muda quando ele é convocado e se vê em um campo de treinamento.
Desce, Morte!, de Spencer Williams (Go Down, Death!, 1944, 65 min, 14 anos, 16 mm)
O dono de uma “juke joint” tenta chantagear um pregador inocente com uma fotografia escandalosa, mas seu plano dá errado quando sua própria mãe adotiva interfere.
A Garota no Quarto 20, de Spencer Williams (Girl in Room 20, 1946, 63 min, 14 anos, 35 mm)
Garota do campo vem para a cidade grande perseguir carreira de cantora, e faz amizade com os motoristas de táxi, enquanto é perseguida por cafetão adúltero.
Gertie Indecente do Harlem, EUA, de Spencer Williams (Dirtie Gertie from Harlem USA, 1946, 65 min, 14 anos, 35 mm)
A sexy e sedutora dançarina do Harlem Gertie La Rue se apresenta em uma sonolenta ilha do Caribe, enquanto provoca os homens do lugar, foge do marido violento e é perseguida por pastor que tenta lhe salvar a alma.
Juke Joint, de Spencer Williams (1947, 60 min, 14 anos, 35 mm)
Dois vigaristas se envolvem em um concurso de beleza de uma pequena cidade.
Milagre no Harlem, de Jack Kemp (Miracle in Harlem, 1948, 71 min, 14 anos, 35 mm)
Um magnata corrupto do mercado imobiliário engana uma jovem mulher, que perde sua loja de doces. Quando ele é encontrado morto, a garota é suspeita do crime.
Almas do Pecado, de Powell Lindsay (Souls of Sin, 1949, 65 min, 14 anos, 35 mm)
“Dollar Bill” Burton vive em um porão sujo de Nova York com o velho amigo Bob e o cantor “Alabama” Lee. Cansado de estar sem dinheiro, “Dollar Bill” faz pequenos serviços ilegais para o gângster Bad Boy George. O agora próspero Bill ignora a adorável Etta e se envolve com a sensual cantora Regina. O novo estilo de vida de Bill acabará com ele?
Na Sombra de Hollywood: “Race Movies” e o Nascimento do Cinema Negro, de Brad Osbourne (In the Shadow of Hollywood, documentário, 2007, 59 min, 12 anos, DVD)
Na época em que Hollywood se recusava a colocar negros em filmes exceto nos papeis de empregados e bufões, um movimento artístico underground se desenvolveu apenas para as plateias negras: os “races pictures”.
Oscar Micheaux: o cinema negro e a segregação racial São Paulo: de 24 de julho a 4 de agosto (quarta a domingo) Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – Cinema (70 lugares)Rua Álvares Penteado 112, Centro, tels. (11) 3113.3651 e (11) 3113.3652 Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia) Sessões em DVD: gratuitas www.bb.com.br/cultura

Rio de Janeiro: de 31 de julho a 12 de agosto (quarta a segunda – fechado às terças) Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro – Sala de Cinema 1 (98 lugares) – Rua Primeiro de Março 66, Centro, tel (21) 3808-2020 CINEPASSE: R$ 6 e R$ 3 (meia), válido durante a mostra, para acesso à sala de cinema 1, por meio de senhas. As senhas deverão ser retiradas 1h antes de cada sessão. www.twitter.com/ccbb_rj
Fonte: Recista Cinema UOl, saiba mais em (http://revistadecinema.uol.com.br)