Quanto um cinema paga para exibir um filme? Quem nunca teve esse curiosidade?
É muito fácil saber a arrecadação de um filme nas bilheterias nacionais e mundiais. Muitos sites divulgam essas bilheterias, inclusive nós, além também das Agências Nacionais de Cinema de cada país. Porém e os cinemas que exibem um filme, quanto pagam por essa concessão e qual o montante de sua arrecadação?
fita
Concessões.
Existem basicamente duas maneiras de se estabelecer a “compra” de um filme para exibição. A primeira é por um preço fechado e a segunda por porcentagem. Isto é, o cinema pode optar por pagar um valor X para deter os direitos de exibição ou pagar uma determinada porcentagem em cima da bilheteria (o mais usual).
Quando se trata de preço fechado, o cinema concorda em pagar uma quantia fixa para que possa exibir o filme em sua rede. O contrato para exibição tem um tempo, por essa razão, alguns filmes saem tão rápido dos cinemas e outros duram tanto tempo. Pois, em determinados casos, o preço fechado pode compensar. Mas esses casos são raros e dependem muito da proposta que o cinema está realizando, tais como promoções, sessões fechadas, sessões especiais
O preço fechado, no entanto, é muito perigoso, pois o cinema pode não arrecadar o valor pago pela exibição, o que seria um prejuízo que, dificilmente, seria recuperado.
Pensando nessa possibilidade de um prejuízo eminente, pois nenhum filme pode render tanto assim, muitas redes de cinema acabam por aderir ao contrato em que cede uma porcentagem das bilheterias (valor do ingresso) aos distribuidores. Nessa segunda opção, vários detalhes são acordados entre o cinema e a empresa distribuidora do filme. Entre esses detalhes, o cinema negocia a quantia de reembolso da casa ou custo operacional com o distribuidor, por exemplo. Outro ponto é a divisão da bilheteria líquida, que vai calcar o acordo do reembolso. Esses são apenas alguns dos muitos acordos que podem e são estabelecidos. Veja o exemplo!
Considere este exemplo. O CINEMARK negocia o filme Homem de Ferro 3 com a distribuidora DISNEY. O Cinemark entende que as despesas (o chamado custo operacional) giram em torno de US$ 4.500 por semana. A porcentagem líquida da Disney é estabelecida em 95% para as duas primeiras semanas, 90% para a terceira e 85% para a última. A porcentagem bruta da Disney é estabelecida em 70% para as duas primeiras semanas, 60% para a terceira e 50% para a última.
tabela
Você pode perceber que durante as três primeiras semanas a porcentagem bruta é maior. A porcentagem líquida é maior na quarta semana. Portanto, a Disney fica com a porcentagem bruta sobre as três primeiras semanas e com a líquida sobre a quarta. Na primeira semana o Cinemark não ganha nem perde; na segunda ele perde dinheiro; nas duas últimas semanas, tem lucro.Popcorn and drink in an empty theater
O filme é considerado um artigo promocional pelo dono do cinema: ele deve atrair as pessoas (afinal é um entretenimento para os meios de comunicação). O cinema vai ganhar seu dinheiro na venda de guloseimas para a plateia (encabulado com isso né?). Logo, é por isso que as concessões são tão caras: sem os lucros gerados pela pipoca, pelos refrigerantes e tantos outros comes e bebes, a maioria dos cinemas não conseguiria permanecer funcionando, afinal, como vimos, o valor arrecadado para o cinema é mínimo!
Deste modo, no final do contrato, o cinema paga ao distribuidor sua cota da renda da bilheteria e devolve a cópia. Se um filme for muito popular, isto é, continuar rendendo público depois dessas quatro semanas, o cinema pode renegociar uma extensão do contrato. Curiosidade: sempre que você ver as propagandas que fale que o filme foi prorrogado, pode acreditar que o contrato foi renegociado e, agora, o cinema pode lucrar um pouco mais!
quanto um cinema paga para exibir um filme eu fabrico 2
O que queremos dizer que eles podem lucrar mais? Acontece que se por um lado a primeira temporada dos filmes que acabaram de ser lançados são artigos de promoção, a exibição de filmes que saíram de cartaz há algum tempo pode ser lucrativa para os cinemas.
Acontece, pois, que os cinemas que exibem a segunda temporada, em geral, conseguem acordos bastante atraentes com os distribuidores, o que acaba por interferir nesse lucro.
Fonte: Site Eu Fabrico, saiba mais em (http://eufabrico.com)