“Hélio Oiticica”, de César Oiticica Filho, foi contemplado com os prêmios FIPRESCI e Caligari. “Flores Raras”, de Bruno Barreto, levou prêmio do público

helio-oiticica-filme

O documentário “Hélio Oiticica“, de César Oiticica Filho (sobrinho de Hélio), exibido na seção Fórum do 63º Festival Internacional de Cinema de Berlim, que se encerrou ontem (17), foi duplamente premiado no festival: ganhou, na última sexta-feira (15), o prêmio FIPRESCI, da Federação Internacional de Críticos de Cinema, e o prêmio Caligari, concedido pela revista alemã Film Dienst a obras inovadoras em termos de estilo e de temática.

 

O longa, que traz uma extensa pesquisa de imagens sobre a evolução e a carreira de Oiticica, utilizando a própria voz do artista como fio narrativo, teve o apoio da ANCINE para sua participação no festival, por meio do Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais, que concede apoios diversos a filmes oficialmente convidados a participar de 77 eventos (festivais e premiações) no exterior. “Flores Raras”, de Bruno Barreto, também apoiado pela Agência e exibido na mostra Panorama, que reunia 52 obras de 33 países, ficou em segundo lugar no prêmio do público.

 

“Hélio Oiticica”, que que já havia sido eleito Melhor Documentário pelo Júri Oficial do Festival do Rio 2012, tem estreia prevista para 2013. Visite o site oficial do filme.

 

por Ancine