por Ancine

Projetos brasileiros são premiados nas categorias Formação, Desenvolvimento e Coprodução

viewimage.php

Em reunião realizada em Buenos Aires, o Comitê Intergovernamental da Ibermedia (CII) anunciou os resultados de sua convocatória em 2012. Este é o primeiro ano em que o programa de apoio realiza uma única convocatória anual, seguindo o novo calendário estabelecido pelo Comitê. No total, foram premiados 45 projetos de coprodução, 64 em desenvolvimento e 26 programas de formação. Destes, 14 projetos brasileiros foram contemplados, nas categorias Formação (1), Desenvolvimento (5) e Coprodução (8, sendo 3 majoritários e 5 minoritários).

Categoria Coprodução

Nesta categoria, os projetos de ficção concorriam a valores entre 80 e 150 mil dólares, e os documentários a até 100 mil dólares.

Os três projetos majoritários brasileiros premiados foram:

– “Entre a Dor e o Nada”, projeto da MPC Ltda, com direção de Alberto Graça, e roteiro escrito a oito mãos por três roteiristas brasileiros e um português.
O filme narra a história de um casal brasileiro em Portugal, vivendo a crise de um relacionamento envolto pela criação artística e o erotismo. Já tendo recebido financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual, entre outros, esta coprodução com Portugal será filmada em breve em Lisboa. Recebeu 100 mil dólares do Fundo.

– “Lua em Sagitário”, projeto da Realizart Produções Audiovisuais, tem direção de Marcia Paraiso, com roteiro dela e de Will Martins.
O filme mostra a aventura de um casal adolescente, natural de uma pequena cidade no Oeste de Santa Catarina, e sua descoberta do mundo para além das fronteiras da sua cidade. Trata-se da estreia da diretora em longas de ficção, numa coprodução com a Argentina. Recebeu 80 mil dólares do Fundo.

– “Mate-me Por Favor”, projeto da Bananeira Produções, com roteiro e direção de Anita Rocha da Silveira.
Este projeto é o primeiro longa da diretora, já premiada em inúmeros festivais no Brasil e no exterior pelos seus curtas. Trata-se de uma ficção protagonizada por personagens adolescentes, que foi selecionado ainda em laboratórios prestigiados de projeto e roteiro, como o programa Cinemas du Monde do Festival de Cannes. O filme foi apresentado ao Ibermedia como uma coprodução com Portugal. Recebeu 100 mil dólares do Fundo.

Já os cinco projetos minoritários em coprodução com o Brasil que foram premiados são:
– “Los enemigos del dolor”, coprodução entre Cordón (Uruguai) e Primo Filmes (Brasil) – já premiado no edital binacional entre Brasil e Uruguai.
– “Habi, la extranjera”, coprodução entre Lita Stantic Producciones (Argentina) e Videofilmes Prod. (Brasil) – já premiado no edital binacional entre Brasil e Argentina.
– “Mulheres” , coprodução entre Stopline Films Ltda. (Portugal) e Gullane Entretenimento S.A (Brasil).
– “Refugiado”, coprodução entre a Campo Cine/Rio Rojo (Argentina, majoritária), Astronauta Producciones (Espanha) e Bossa Nova Films (Brasil).
– “Rompiendo la ola”, documentário a ser coproduzido entre Marina Productions (Panamá) e Tres Mundos Cine e Video (Brasil).

Categoria Desenvolvimento
Os projetos brasileiros premiados nessa categoria, que oferece financiamentos de até 15 mil dólares, foram os seguintes (todos de ficção):

“Antes o Tempo Não Acabava” (Sergio José de Andrade / RioTaruma Films) “Cinco vidas e um segredo” (Miriade Filmes e Produções Artísticas) “Dias nublados” (Nerofilm) “Do Outro Lado da Lua” (Cineramabc Filmes) “Turma da Bossa” (Doc Filmes Produções Audiovisuais)

Categoria Formação
Nessa categoria, apenas um projeto foi apresentado por uma empresa brasileira, tendo recebido o valor de 38 mil dólares. Trata-se do “Workshop E Tal”, apresentado pela Televisão América Latina (TAL), com uma proposta de formação para diretores e programadores de televisão pública latino-americanos.

O que é o Fundo Ibermedia

O Fundo Ibero-americano de apoio Ibermedia é um programa de estímulo à promoção e à distribuição de filmes ibero-americanos e faz parte da política audiovisual da Conferência de Autoridades Cinematográficas Ibero-americanas (CACI). Foi criado em novembro de 1997 sob as bases das decisões adotadas pela Cúpula Ibero-americana dos Chefes de Estado e de Governo realizada nas Ilhas Margarita, Venezuela. Atualmente o Fundo está ratificado por 18 países, que financiam o programa através de cotas anuais pagas à CACI. São eles: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Chile, Equador, Espanha, Guatemala, México, Panamá, Peru, Portugal, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.